!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

18.10.17

7 conversas estranhas que as mulheres têm nas casas de banho

7 conversas estranhas que as mulheres têm nas casas de banho

Quando pensamos na casa de banho, pensamos que é um sítio muito estranho para se ter conversas mas, na verdade, é aqui que muitas mulheres partilham os seus segredos, fazem coisas embaraçosas, retocam a maquilhagem, ... E é aqui que também muitas de nós têm algumas conversas estranhas que os homens não fazem a mínima ideia que nós temos. Enquanto que, fora da casa de banho, estamos, muitas vezes, em competição umas com as outras, dentro destas somos solidárias e apoiamo-nos mutuamente, de uma forma estranha, mas que ainda assim não deve ser desvalorizada. Aqui estão algumas conversas estranhas que nós, mulheres, temos neste local.


1. A conversa " Alguém tem papel?": Quantas vezes entras na casa de banho, sentas-te na sanita, e só depois é que te apercebes que não tens papel? Esta é uma das muitas razões pelas quais nós, mulheres, não vamos sozinhas à casa de banho. Porém, se cometermos o erro de irmos sozinhas, é um tópico de conversa embaraçoso que começamos com estranhos. Pedir um lenço a uma mulher que não conhecemos ou pedir a uma amiga é a forma número 1 como nós criamos ou fortalecemos relações na casa de banho.

2. A conversa " Alguém tem um tampão ou penso higiénico?":  Outra conversa que envolve pedir ajuda na área da higiene é pedir ou gritar ( dependendo do momento do dia e local) um tampão ou penso higiénico. De certeza que já nos aconteceu a todas sermos apanhadas de surpresa pela menstruação e não estarmos preparadas para esta. Nestas alturas de desespero, quando uma mulher te oferece um tampão ou um penso higiénico, a tua gratidão é imensurável.

3 A conversa " Adoro o(a)  teu/tua ( inserir peça de roupa/ colar/pulseira...): Esta conversa ocorre em qualquer sítio mas, sobretudo, na casa de banho. Não sei bem o que é, mas há qualquer coisa nas casas de banho que põe todas as mulheres a darem elogios umas às outras. É à roupa, à maquilhagem, ao novo penteado, é aos brincos... Pode ser qualquer coisa mesmo! Melhor do que isso, se formos sortudas, a rapariga que elogiamos diz-nos em que loja em que comprou, para nós podermos comprar lá também.

4. A conversa " Tens algo em ti...": É, muitas vezes, neste local exclusivo a mulheres, a nossa última oportunidade de dizer a uma amiga que tem algo na t-shirt dela, que a base está mal espalhada, ou que uma parte do vestido está presa nas cuecas. É uma conversa embaraçosa, mas que é sempre recebida com alívio e gratidão, e que nos faz sentir umas boas samaritanas.

5. A conversa " Boys Suck": Este é aquele tipo de diálogo que podemos ter com qualquer mulher, mesmo que desconhecida. Acontece sobretudo à noite, num bar ou numa discoteca, em que nos começamos a lamentar do ex ou dos gajos que andam a lixar-nos a vida. Se acontece de encontramos outra rapariga que também está a passar por um mau bocado com homens então, cuidado, não se aproximem, porque a conversa pode tornar-se num debate bem aceso acerca do quanto os homens são horríveis!

6. A conversa " Terapeuta de Casa de Banho":  E por falar em homens, a casa de banho feminina serve, frequentemente, de consultório amoroso. Se já foste aquela rapariga a chorar no meio da casa de banho, ou se já ajudaste uma assim, certamente que sabes disso. Às vezes, a única coisa que nós precisamos é desabafar com alguém, e não melhor sítio do que numa casa de banho, um sítio livre de homens e de desgostos amorosos ( a menos que sejas lésbica, nesse caso tenta não te cruzar com a filha da mãe que te partiu o coração).

7. A conversa " És tão linda!": Meus caros amigos esta é, muito provavelmente, a conversa mais típica, mais girly, mais fofinha e mais parola que vão ouvir numa casa de banho de mulheres. Dizermos umas às outras o quão bonita nós achamos que ela é acontece a toda a hora, em todos os locais, mas não deixa de ser um elogio que recebemos de bom grado e que, normalmente, é seguido de " não, tu és mais bonita do que eu" ou " Não sou nada comparada contigo. Tu devias ser modelo com esse corpo".


Mulheres por aí? Que tipo de conversas têm nas casas de banho?

Lê também: 10 coisas que as mulheres fazem mas não admitem.

17.10.17

E se descobrem o meu blog?


Se há coisas que todos os bloggers, anónimos ou não, têm em comum é o medo dos seus blog serem lidos por pessoas que os conhecem. A ideia de estarmos a ser lidos por pessoas que nos conhecem, que convivem connosco no dia a dia, que estudam ou trabalham connosco é simplesmente demasiado constrangedora para nós. Fazemos sempre um filme na nossa cabeça: " E se gozam comigo por ter um blog?", " E se gozam comigo por escrever sobre isto ou aquilo?", " E se isto denigre a minha imagem e ,a partir de agora, passo a ser alvo de piada?", " E se nunca mais me levam a sério no meu emprego?" A lista de cenários trágicos que nos passa pela cabeça é longa e, seu eu continuasse, não saíamos daqui hoje.

Eu era mais uma das bloggers que tinha este medo irracional de ser lida por amigos e/ou pessoas conhecidas. Uma vez até escrevi um tweet a dizer que, se a minha turma toda da faculdade ( que tem cerca de 100 alunos) lesse o meu blog, eu provavelmente morria de vergonha ahahah. Eu já devia ter aprendido a não desafiar assim a vida mas, como sou teimosa e não aprendi, aconteceu mesmo.

Recentemente, a minha turma descobriu o meu blog. Antes que eu me habituasse à ideia de ser lida pelos amigos, já estava a ser lida pela turma inteira. Pelo pouco que sei ( porque os espertinhos dos meus colegas não me disseram nada), uma rapariga soube, foi partilhando e, em pouco tempo, toda a gente sabia. As turmas universitárias são muito grandes, meus amigos,  mas as notícias "bombásticas" espalham-se depressa. E digo " bombástica" porque acho que ninguém estava a contar que uma rapariga tão calma e calada como eu na realidade escrevesse tanto online.

Olhando para trás, agora que o choque inicial já passou, até foi bastante engraçado ver a reação das pessoas mas, sobretudo, ver o quanto exagerada a minha foi. Como a Inês sempre disse, "os dramas e os filmes que fazemos por causa do nosso blog, estão quase sempre na nossa cabeça". A maior parte das vezes, o feedback que recebemos é bastante positivo, o que acaba por provar que todos os nossos receios foram desnecessários. Mesmo que a reação inicial das pessoas seja " que escândalo!", isso passa-lhes. Passado alguns dias, as pessoas já nem sequer se lembram disso, já não falam sobre isso, já não ligam nem mandam mensagens por causa de posts, e nós continuamos a escrever como sempre fizemos. No momento em que estou a escrever este post, provavelmente metade da minha turma já nem me lê ( e se me lê, olá coleguinhas). Eu cá continuarei a escrever como sempre fiz.

Por isso, se és um daqueles bloggers que tem medo de ser lido por familiares, amigos ou pessoas conhecidas, larga esses receios. As coisas são sempre dez vezes piores na nossa cabeça. Na realidade, as coisas nunca são assim tão más. Não precisas de andar aí a gritar às pessoas " hey, tenho um blog, sigam", mas também não precisas de andar a escondê-lo. Existem, obviamente, muitas razões para não querer divulgar um blog ou para o mesmo ser anónimo ( e ter um blog anónimo é tão válido coo ter um público), mas se tens vontade de partilhar o teu blog, partilha. Quem sabe, se não ganharás mais seguidores. Quem sabe, se o teu grupo de amigos não se torna no teu clube de fãs ( como é o caso do meu grupo de amigas, que apoiaram logo que souberam e que estão tão ou mais entusiasmadas do que eu. Obrigada mais uma vez, meninas). Ou, simplesmente, a reação das pessoas torna-se numa história engraçada. Qualquer que seja o cenário, nunca será igual aos filmes que fazes na tua cabeça. Porque, afinal, ter um blog não é vergonha nenhuma. É apenas um passatempo ou um projeto, como qualquer outro. Por isso, porque não partilhar?

(Foto: Amber McNaught)

16.10.17

Parem de destruir o nosso país!



Nunca, em 20 anos de existência, pensei assistir a tamanha tragédia. Ontem vi logo que algo de muito errado se passava quando, por volta do final da tarde, o céu ficou de uma cor estranhamente alaranjada, começou a escurecer, e o cheiro a fumo e a queimado tornou-se de tal forma forte que, mesmo com as janelas e portas fechadas, alastrou-se rapidamente pela casa toda. Se eu nem sequer estava numa zona próxima de incêndios e senti isto, nem quero imaginar o terror que se viveu nos locais que estavam a ser devastadas pelo fogo. Durante todo o tempo estive em segurança, mas não deixei de sentir medo e horror ao constatar que à minha volta estava tudo em chamas. 

Acreditei, sinceramente, que depois da tragédia de Pedógrão tivessem aprendido a lição. Achei que a devastação, o desespero, a agonia das pessoas, as mortes, os lamentos serviriam para alguma coisa. Mas, pelos vistos, bastaram apenas quatro meses para voltar a repetir os erros do passado. 

Existem vidas perdidas, famílias destruídas, pessoas sem casa, quilómetros de património florestal perdidos e que vão demorar anos a ser recuperados. E ainda há quem encare isto de forma leviana. O primeiro-ministro afirma " que situações destas se irão repetir", a ministra da Administração Interna não quer saber, preferia ir de férias. Há quem aproveite para fazer campanha e comece a culpar os governos anteriores. E, no meio disto tudo, ninguém faz nada. 

Perdi a paciência. Apetece-me gritar " IDE TODOS À MERDA". Não quero saber de discussões políticas, se a culpa é deste governo ou do anterior, se este ou aquele se devia demitir... Se em vez de estarem aí a apontarem o dedo, fizessem realmente alguma coisa, nada disto teria acontecido. As vossas condolências, palavras de solidariedade, promessas e abracinhos aos cidadãos não vão trazer de volta aquilo que se perdeu. Parem de encarar isto como algo normal, inevitável, que irá acontecer muitas vezes nos próximos anos. Por amor de Deus, Portugal está todo a arder!

O terrorismo tem mil caras. Aquilo que aconteceu em Portugal não foi apenas fruto das alterações climatéricas. Foi fruto da crueldade do ser humano, de pessoas doentias que retiram prazer dos incêndios e do sofrimento que estes causam. Pessoas mais cruéis que estas são aquelas com poder para impedir isto, mas estão demasiado absortas nas suas vidas e nos seus próprios interesses para fazer alguma coisa. 

15.10.17

Parceria: Mary Kay

Parceria: Mary Kay

Desde a primeira vez que eu contactei com a Mary Kay, que eu percebi que existia algo de diferente nesta marca, que a tornava única. Não foram apenas os produtos com uma incrível relação qualidade-preço que me atraíram. Foi, também, o facto ter por base princípios morais na sua base. Este devia ser o padrão de qualquer empresa mas, na realidade, isso não acontece. Por isso, ver uma empresa grande como a Mary Kay ter valores e ideais tão definidos é uma "lufada de ar fresco" num mercado cada vez mais comercializado e competitivo.

A Mary Kay é uma marca fundada pela Mary Kay Ash, que foi reconhecida como uma das mulheres mais empreendedoras do Estados Unidos, e cuja história de vida é verdadeiramente inspiradora. Antes de fundar o seu grande império de cosmética, a Mary Kay trabalhava como vendedora, mas após uma década nesse ramo decidiu desistir do seu emprego em protesto, após ver um homem que treinou a ser promovido primeiro do que ela e a receber um salário maior. O seu sonho era criar uma empresa que desse  a mulheres brilhantes e de mente aberta uma oportunidade de ganharem a sua independência e serem bem sucedidas. Assim começou a Mary Kay, em 1963, com um investimento de apenas 5000 dólares, o apoio da sua família e de 9 consultoras de beleza dedicadas. Hoje, é uma marca de sucesso global, com mais de 35 mercados nos cinco continentes.

A empresa tem por base uma regra de ouro, com a qual eu me identifico: " Faça os outros o que lhe gostaria que fizessem a si". Além desta regra de ouro, que devia ser um lema de vida para toda a gente, a marca também tem princípios como um bom ambiente de trabalho, em que domina o trabalho em equipa, o respeito pelos outros e a fomentação de relações baseadas na confiança, na honestidade e amizade.

Eu mergulhei neste mundo cor-de-rosa quando a Silvana, uma consultora de beleza independente de Braga, me convidou para uma sessão de automaquilhagem e cuidados de pele, e me deu a conhecer esta maravilhosa marca e a sua história inspiradora por detrás. A Silvana é uma consultora de beleza independente da Mary Kay, de Braga, que oferece sessões de automaquilhagem e cuidados de pele gratuitas. Enquanto consultora de beleza, faz um acompanhamento personalizado consoante o perfil e necessidades da cliente, e oferece sessões de automaquilhagem e cuidados de pele gratuitos, onde temos oportunidade de conhecer e experimentar vários produtos da marca, e perceber quais são aqueles que se funcionam ou não connosco, antes de decidir se os queremos comprar ou não. Estas sessões não vendem apenas produtos de beleza, ensinam a melhor forma de usufruirmos deles. É essa a grande diferença entre uma vendedora de cosméticos e uma consultora de beleza. Se quiserem obter mais informações ou experimentar marcarem uma sessão, passem pela página de Facebook dela, aqui.

São vários os produtos que podemos encontrar na Mary Kay, desde produtos de maquilhagem, para cuidados de pele, corpo, perfumes, entre outros, todos com excelente qualidade, a preços acessíveis. Fiquei impressionada com a quantidade de produtos que tem para oferecer, e já tenho alguns na minha lista de desejos.

Tendo eu um blog que defende a positividade, o feminismo, o amor próprio e o amor ao próximo, acho que faz todo o sentido ter uma parceria com uma marca que tem os mesmos ideais. Porque sermos mulheres é sermos a melhor versão de nós mesmas, por dentro e por fora.

Em breve, saberão mais novidades desta parceria, por isso fiquem atentos!

( Foto: Mary Kay)

14.10.17

10 coisas irritantes que as pessoas fazem nos elevadores

 10 coisas irritantes que as pessoas fazem nos elevadores

Os elevadores apareceram para nos facilitar a vida. Graças a esta fantástica invenção, já não temos que subir infinitos lanços de escadas quando estamos carregados de compras, cansados, ou simplesmente quando estamos com preguiça. Porém, em certos aspetos, também nos dificultaram a vida, nomeadamente quando envolvem pessoas ( porque as pessoas arranjam sempre maneira de estragar tudo). Há gente que faz cada coisa irritante no elevador que uma pessoa quase que tem vontade de ir de escadas ( uma vontade que passa depressa quando nos apercebemos que, para isso, temos que mexer as pernas). 


1.  Quando as pessoas apressam-se a entrar sem deixar sair: E ainda têm a lata de ficar zangados por estares a tentar sair. Saiam da frente mas é!

2. Quando te vêem/ouvem a correres para o elevador, mas ainda assim não esperam: As pessoas que estão dentro do elevador assistem à tua maratona, vêem-te a correr, a dar a vida, a suar mas, mesmo assim, não esperam por ti e deixam a porta fechar-se. Ai, se eu vos apanho!

3. Quando tu já carregaste no botão para chamar o elevador, e vem outra pessoa a seguir carregar: Mereciam uma ajoelhada no ventre ( ou pontapé nos tomates, casos sejam homens). Acham que o elevador vem mais rápido só porque foram vocês a chamá-lo? Nestas situações, eu clico no botão outra vez, só para quando o elevador chegar a pessoa não dizer que o mérito foi dela.

4. Quando está entra uma pessoa a ouvir música e começa a cantar: Ponto nº1, existem phones por alguma razão. Ponto nº2, isto não é um musical.

5. Quando descobres que o palerma atrás de ti está a ler as tuas sms: E tu ficas tentado(a) a escrever " Mete-te na tua VIDA!"

6. Quando alguém tosse ou espirra num elevador cheio: Ainda estou aqui, mas prestes a falecer.

7. Quando alguém está constipado e toca nos botões: Ou toca na porta, nas paredes, no que quer que seja. Andam a espalhar bactérias por todo o lado!

8. Quando parece que alguém tomou banho com perfume: E intoxica a população inteira do elevador.

9. Quando alguém clica no botão do andar errado: E depois acabas por ter que esperar que o elevador vá para cima, volte para baixo, e entretanto já passaram 500 anos.

10. Quando aparece um grupo de amigos a falar de um episódio que tu ainda não viste: E tu não tens maneira de fugir aos spoilers.


Que coisas irritantes já vos fizeram em elevadores? Partilhem nos comentários.

13.10.17

15 problemas de que só quem tem sempre que fazer xixi entende

 15 problemas de que só quem tem sempre que fazer xixi entende

Se és o tipo de pessoa que consegue aguentar uma hora sem fazer xixi, considera-te sortudo(a), porque há quem não consiga. É o meu caso.

Desde há muito tempo que eu tenho uma necessidade de fazer xixi durante o tempo todo. Eu atribuo isto ao facto de beber muita água, porque eu bebo mesmo muita ( e quando digo muita, é tanta que até os médicos me perguntam como é que eu consigo). Eu antes pensava que a minha constante necessidade de fazer xixi se devia ao facto de ter uma bexiga pequena, mas agora sei que isso é um mito ( a não ser que esta tenha sido reduzida devido a uma cirurgia ou a um cancro, ninguém tem uma bexiga pequena).

Se és do tipo de pessoas que tem necessidade de esvaziar a bexiga constantemente, então certamente sabes o quanto isto pode afetar o dia a dia e, sobretudo, deves identificar-te com, pelo menos, algumas destas coisas.


1. Em primeiro lugar, tu tens sempre que fazer xixi: Mesmo que não tenhas bebido muito, tu tens que fazer sempre xixi. Sempre, não há descanso!

2. Tu sabes que beber café, chá, refrigerantes ou cerveja piora: Mas bebes na mesma.

3. Muitas vezes, fazes xixi por prevenção: Porque tens um teste de 3 horas a seguir, uma reunião importante ou vais para um sítio sem casas de banho. Mas mesmo que não tenhas nada disto, muitas vezes fazes isto na mesma, porque " E se sou raptado(a) e o raptor não me deixa fazer xixi?".

4. Tu sabes todos os spots de fazer xixi na tua cidade: Sabes de cor todas as casas de banho da tua cidade porque já estiveste em todas umas 500 vezes, pelo menos.

5. Quando vais viajar, panicas por não saberes aonde são as casas de banho: Enquanto os outros estão a aproveitar as férias, tu estás a stressar porque não sabes aonde são as casas de banho. E começas a stressar mesmo antes de ter vontade de ir.

6. As longas filas na casa de banho são um inferno: Juro que se não fosse tão chique ia para trás de uma árvore aliviar a bexiga.

7. Os teus amigos fartam-se de gozar com isto: " A tua bexiga é mesmo pequena", " já vais outra vez à casa de banho e ainda agora foste..." e, " tens que andar com uma fralda" são algumas coisas que ouves no teu dia a dia.

8. Já te perguntaste se beber menos água ajuda: Mas não faz a mínima diferença.

9. Qualquer conversa sobre xixi dá-te vontade de ir fazer xixi: Imagina o problema que eu tenho quando falo sobre isso nas aulas que tenho em Enfermagem.

10. Se alguém vai fazer xixi, tu também vais: Solidariedade, claro, não é por causa da minha bexiga nem nada...

11. Apesar de tudo, consegues aguentar-te imenso tempo sem ir à casa de banho: Porque já tiveste que o fazer muitas vezes, é a história da tua vida.

12. Muitas das decisões da tua vida envolvem isto: " Devo fazer xixi antes ou depois da hora do almoço" ou " Logo depois de sair do trabalho ou só quando chegar a casa?".

13. Longas viagens de carro ou de autocarro dão-te ansiedade:  Dão-te tanta, mas tanta, que tu até preferias ir de avião.

14. Ficas genuinamente preocupado(a) com os teus amigos que quase nunca fazem xixi: Quando os teus amigos não vão à casa de banho há muitas horas, tu começas a ficar preocupado(a). " Será que está a ficar doente? Se calhar devia fazer uns exames médicos para ver..."

15. Tens sempre que ir à casa de banho mesmo antes de dormir: Se não o fazes, tens dificuldades em adormecer.


E vocês? Também andam sempre atrás das casas de banho?

12.10.17

5 dicas para o Instagram que não resultam comigo

5 dicas para o Instagram que não resultam comigo

Não há dúvida nenhum que o Instagram é uma plataforma excelente para divulgarmos a nossa marca, quer sejamos bloggers, youtubers, ou apenas pessoas que que querem levar a sua paixão por fotografia ao próximo nível. Por isso, todos nós utilizamos estratégias para criar a melhor conta possível e chegar ao maior número de pessoas.

Pela blogosfera fora, multiplicam-se os posts com dicas e conselhos para o Instagram, muitos dos quais garantem ter a receita para o sucesso garantido nesta rede social. Basta pesquisarem " dicas para Instagram", que aparecem logo umas 132839 páginas a falar sobre o assunto. Muitas destas publicações têm dicas realmente úteis ( e eu já aprendi imenso com a ajuda destas), mas existem outras publicações que até dá vontade de rir, de tão ridículas que são.  É incrível o que as pessoas fazem para serem mais famosas na Internet. Para muitos, estas estratégias podem realmente resultar, mas comigo não resultam. Talvez tivesse mais seguidores se aplica algumas destas tácticas mas, se tiver que escolher, prefiro ter uma conta que eu gosto e que seja a minha cara, do que uma conta com milhares de seguidores.


1. Seguir pessoas de volta: Odeio ler comentários no meu blog a dizer " Segui, segues de volta?" . Portanto, como devem calcular, também odeio ver isto nas redes sociais. Aquilo que me revolta é que existem bloggers a dar mesmo esta dica, do tipo " sigam 100 contas por dia, arranjem uma app para controlar os vossos seguidores, e quem não vos seguir, deixem de seguir também". Sim, isto é uma boa técnica para ganharem rapidamente seguidores no Instagram, mas estarão a ganhar seguidores realmente interessados no vosso conteúdo? A mim parece-me que não. Desta forma, só estarão a aumentar o número de seguidores porque, na realidade, estes não estão a interagir convosco. Eu prefiro ter poucos seguidores, mas os poucos que tenho estarem realmente interessados no conteúdo que partilho. 

2. Usar Instagram Pods: Desde que o Instagram mudou o algoritmo, muitas pessoas têm tentado quebrar o sistema, de forma a que as suas fotos se tornem mais relevantes e apareçam no feed de mais gente. Uma das formas que muitas bloggers e youtubers estão a usar para atingir esse objetivo são Instagram Pods que são, basicamente, grupos de 10 a 15 pessoas, que partilham as suas fotos por mensagens privadas e se comprometem a pôr gostos e a comentar todas as fotos das outras, mal as vejam. Uma coisa é divulgar a nossa conta de Instagram e convidar as pessoas a seguirem, outra coisa é andar fazer spam às pessoas e obrigá-las a pôr gostos nas nossas fotos. É quase a mesma coisa do que seguir contas/blogs que não gostamos só para ganhar seguidores. Este truque, além de desonesto, vai contra as regras do Instagram, que já emitiu um comunicado a dizer que vai banir todas os utilizadores que usarem Instagram Pods.

3. Criar um tema consistente: Ultimamente, parece que virou moda todas as bloggers e youtubers criarem um Instagram consistente, com um esquema de cores bem definido e sempre com o mesmo padrão. Embora eu seja da opinião que devemos ter cuidado com a estética das fotos, com a luz e com o background que usamos ( eu, pessoalmente, tento usar sempre fundos claros, para cansar menos a vista), criar um tema com um esquema de cores e um padrão limitado é um pouco aborrecido. Sim, contas assim são muito bonitas, mas não parecem reais, parecem mais obras de arte num museu do que propriamente uma conta de Instagram de uma pessoa real.

4. Publicar apenas um certo tipo de fotos: Muitos instagrammers são da opinião que não devemos publicar todas as fotos que tiramos, que devemo-nos centrar em apenas alguns temas, que devemos escolher se publicamos sobre moda e beleza ou viagens e comida, por exemplo. Eu discordo completamente desta estratégia. Obviamente que não devemos publicar tudo no Instagram, mas também não precisamos de ser assim tão seletivos. Ao sermos assim, estamos a retirar espontaneidade e personalidade do nosso perfil. Eu gosto de ver contas com fotos variadas, de comida, beleza, looks, viagens, enfim, que documente um pouco aquilo que é a vida da pessoa e que transmita a sua essência. É isso que eu tento fazer na minha conta.

5. O número de seguidores não deve ser inferior ao número de contas que seguimos:Até me custou a acreditar quando li isto em alguns blogs. Supostamente, fica mal ter um número mais elevado no " seguindo" do que na parte dos "seguidores", pode dar a impressão que estamos desesperados por seguidores, e que seguimos todas as contas que nos aparecem à frente, o que nos pode prejudicar o nosso desempenho no Instagram(?) De acordo com estas bloggers, o melhor é seguir apenas aquelas contas que temos a certeza que nos vão seguir de volta, e deixar de seguir aquelas que não nos retribuem. Isto é pura estupidez! Se eu gosto dos perfis que sigo, não os vou deixar de seguir só para diminuir o número de contas que sigo, para ficar bem. Era só o que me faltava deixar de seguir contas que gosto só para ganhar mais seguidores.


E vocês? Quais são as dicas de Instagram que não seguem?